Equilíbrio é a chave do sucesso.


Equilíbrio é a chave do sucesso.

Sou conselheiro de empresas de vários setores e de algumas organizações não-governamentais, nesses ambientes tão diferentes, e também em muitos outros casos que leio na imprensa, vejo surgindo uma preocupação crescente: a saúde mental dos colaboradores. No Brasil, os transtornos comportamentais já são a terceira causa de afastamento do trabalho por adoecimento, segundo dados da Previdência Social. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo até 2020.

O aumento dos casos de depressão, transtornos de ansiedade, síndrome de Burnout, só para citar alguns nomes que estão ficando da vez mais conhecidos, tem a ver com as nossas circunstâncias atuais, estilo de vida e genética, e também com o diagnóstico que é aprimorado a cada dia. Durante muito tempo era comum achar que os problemas de saúde mental eram sinônimos de fraqueza, falta de força de vontade ou qualquer outro preconceito que você queira encaixar aqui. Quantas pessoas não esconderam essa condição, com medo de como seriam vistas pelos colegas?

Então, em primeiro lugar é importante reconhecer a importância de buscar ajuda profissional e seguir a orientação, como faríamos se estivéssemos falando de colesterol ou pressão alta. Em segundo lugar podemos pensar no que podemos fazer para trabalhar melhor a nossa saúde mental. Podemos aproveitar essa época de final de ano, quebrar a inércia, e repensar a vida como um todo. Não só fazer planos para o novo ano que se aproxima, mas olhar para o hoje e perceber o que está bom e o que você gostaria de mudar para construir o seu amanhã desejado...em resumo, qual o seu propósito.

Acredito que um bom caminho para uma vida feliz, ou de uma carreira de sucesso, é o equilíbrio. A dedicação ao nosso trabalho – que deve ser intensa - não deve se sobrepor a todas as dimensões da nossa vida. Porque são essas outras áreas que vão nos sustentar em um momento de dificuldade, é o equilíbrio entre trabalho, família, amigos, causas, cidadania etc., que nos permite lidar com as dificuldades momentâneas que estão sempre acontecendo em alguma dessas dimensões. Quando uma não vai bem, a outra vai, e depois muda, e a gente vai levando.

Ao longo da minha carreira como executivo, fiz questão de procurar estar com a minha família e amigos, sempre que possível. Mesmo que isso significasse trabalhar um pouco depois desses momentos. Também sempre procurei evitar aceitar convites para eventos no fim de semana. Porque são nesses dias que eu vou para a Fazenda, na cidade da minha família, caminhar, admirar a natureza, ler um bom livro, refletir. Volto com as baterias recarregadas e pronto para encarar a semana com as muitas atividades que sempre tive.

Talvez os mais jovens achem difícil entender, porque atualmente parece que todo mundo está tentando fazer tudo ao mesmo tempo e agora. Mas para mim, são esses momentos de conexão comigo que me permitem tomar decisões e buscar o caminho para que eu possa ajudar – por pouco que seja - na construção de uma sociedade melhor, de um propósito. Já dizia o escritor Erico Verissimo:

“Felicidade é a certeza de que nossa vida não está passando inutilmente”.


Categorias