Coordenador estadual de projetos de qualificação de empresas para o setor de comércio e serviços do Sebrae/RS e Empresário do Setor Varejista.

Desenvolve metodologias e planos de capacitação para grupos de empresas. Realiza palestras em feiras e eventos do setor. Possui graduação em Administração de Empresas (Unisinos, 2007) e MBA em Gerenciamento de Projetos (Fundação Getúlio Vargas, 2009).

Pós Graduado em Gestão de Pequenos negócios (FIA/USP 2016). Há 13 anos atua no Sebrae/RS desenvolvendo atividades de empreendedorismo e gestão para micro e pequenos negócios.

Administrador de empresas, MBA em gerenciamento de Projetos, Pós graduado em Gestão de Pequenos Negócios – FIA/USP, Especialista em Marketing de Varejo – University of California/USA.

Coordenador e Curador de conteúdo na Delegação de Empresas Gaúchas na Macional Retail Federation (NRF) - Principal evento de gestão e tecnologia para o varejo do mundo, em Nova York/EUA.

Elenca as sete principais lições de uma das principais feiras de negócios do RS:

1) Empoderamento dos colaboradores
As empresas crescem em faturamento quando empoderam o colaborador, participam de decisão estratégica e autonomia para decidir, se sentem mais reconhecidos e importantes para a empresa.

2) Diversificação
As marcas precisam ter opções diversificadas e que se relacionem entre si e façam sentido para o perfil de público. A parceria entre outras marcas precisa ser natural.

3) Desaceleração
Em um mundo onde as pessoas trabalham muito e têm pouco tempo livre, o varejo precisa simplificar as jornadas de compra. Assim, o cliente pode sair dessa rotina agitada e conseguir facilmente comprar o seu produto.

4) Data Driven (orientação por dados)
O varejo precisa fazer novas descobertas sobre os seus clientes. As preocupações da sociedade, por exemplo, podem ser um aliado para conquistar novos clientes. Se a marca contribui para a redução do aquecimento global, ela pode se tornar relevante para todas as pessoas que se preocupam com essa causa.

5) Aumentar o fluxo na loja física
Fazer varejo da mesma forma manterá a redução de clientes nas lojas. Parceria e compartilhamento com outras marcas pode ser uma alternativa para contornar esse cenário. Amazon Returns é um exemplo deste tipo de parceria entre a Amazon e a Kohl’s.

6) Crescimento do Social Commerce
Trata-se de uma evolução do boca a boca no ambiente online em que o varejista retribui, em forma de presentes ou descontos, aqueles clientes que falam bem da empresa e convertem isso em vendas.

7) Senso de comunidade
O varejo precisa ter mais atenção de como está o seu entorno, quais as necessidades do seu bairro, das pessoas que o empresário quer atingir. A americana Rent the Runway faz assinaturas de roupas mensais sem precisar comprar. Com base na reclamação dos clientes sobre não gostarem de fazer as malas quando vão viajar, a empresa criou um serviço, em parceria com um hotel, que abastece o closet do quarto com roupas para aquele determinado período.

AT  10-20