Marcelo Miyashita

Veja o Perfil Completo

Marcelo Miyashita

Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduado pela ESPM e publicitário pela Cásper Líbero. Foi mestrando em Administração pela PUC-SP, com pesquisa sobre Marketing de Relacionamento. É consultor lider de sua empresa que fundada em 1998 que reúne diversos projetos de marketing implementados.


Vídeos



Artigos


A era do relacionamento e do networking entre clientes.
Adote uma postura ativa na gestão de clientes.
Muito além do “básico bem feito”.
O processo de vendas com o modelo AIDA.
Planejamento de carreira e estratégia pessoal. Ainda dá tempo.
Você quer uma consulta ou um conselho?
Warm up: como começar bem o atendimento de vendas.

Você quer uma consulta ou um conselho?


 
Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Recebi esse print pelas redes sociais. Não conheço a "Cris", mas ela soube levantar uma questão muito delicada e resolvi escrever um post sobre isso.

Publiquei no meu perfil no Instagram e no Facebook. Porém, como aqui no LinkedIn há um limite de texto para post, não teve jeito, transformei em um artigo :-)

A difícil linha tênue entre entregar conteúdo para gerar relacionamento e referência, e cobrar por isso. É realmente uma questão complicada.

É preciso jogo de cintura, ponderação e bom senso. Só que isso varia e depende de cada situação. E ainda tem o ponto de como o outro lado poderá interpretar e que mensagem poderá ser deixada.

Numa visão fria, todo conteúdo e opinião in loco, ou seja, que precise de uma análise específica e individualizada, e esforço para isso, não pode ser passada “de grátis”. Terá que ser cobrado mesmo. Isso reforçará sua postura profissional, seu posicionamento e o valor do seu conteúdo aplicado. Então, só vantagens.

O outro lado da moeda é que a capacidade de dar conselhos aumenta consideravelmente nossa relevância junto a um grupo maior de pessoas, gerando um movimento de retribuição também maior, aumentando suas referências e indicações recebidas. E tudo isso é importante, principalmente para quem busca mais performance no desenho da carreira.

Por isso essa linha é tênue. E recomendo que corram o risco de caminhar por ela, pendendo de um lado e outro em função de cada contexto.

Às vezes acertamos nas escolhas e na dose de envolvimento, outras vezes não. Mas, vamos aprendendo a dosar e refinando essa habilidade de como tratar as pessoas e seus pedidos.

Porque o nosso conhecimento, conteúdo e experiência, serve para termos desempenho na nossa ocupação profissional. E, também, serve, e muito, para nos tornarmos referência para mais pessoas. Que gera mais indicações e assim lei do retorno se concretiza.

Ou seja, dar conselhos faz parte do jogo de quem resolveu alavancar o crescimento. É trabalhoso, é arriscado e pode não ser valorizado em alguns casos. No entanto, no cômputo geral, funciona.