Dialethos Eventos - E-Commerce: 7 Têndencias para os próximos anos


1 – Entregas no mesmo dia: elas se têm tornado um grande diferencial competitivo para o e-commerce. Apesar de agradar os clientes, é uma acção que exige um novo “mindset logístico”, como a descentralização dos Centros de Distribuição (CDs);

2 – Novas modalidades de entrega: uma nova leva de meios logísticos deve ganhar força no mercado, como os drones, que já estão a tornar as entregas mais rápidas e possíveis a qualquer momento do dia. Empresas como a Amazon já estão a apostar em drones no mercado norte-americano;

3 – Criptomoedas: é uma tendência cada vez mais disseminada, visto que o valor de mercado do Bitcoin, a mais famosa das criptomoedas, valorizou significativamente nos últimos anos. Existe uma série de benefícios para quem compra e para quem vende online utilizando criptomoedas, como o custo da transacção, a velocidade da recepção, a ampliação das fronteiras devido às transacções internacionais e a segurança;

4 – Omnicanalidade: os consumidores desejam encontrar cada vez menos barreiras entre o online e o offline. Quem apostar nesta tendência estará à frente da concorrência. Um estudo realizado pela Deloitte mostrou que os clientes que transitam entre os canais gastam 82% a mais do que aqueles que utilizam tradicionalmente apenas um ponto de contacto. Por isso, a integração entre os ambientes físicos e virtuais deverá popularizar-se nos próximos anos;

5 – Automatização do atendimento: segundo outra pesquisa, realizada pela Microsoft, 93% dos consumidores já utilizou ferramentas de auto-atendimento, 98% espera que as empresas ofereçam soluções de auto-atendimento online, e 93% já encontrou a informação que procurava pela internet. Indica que o atendimento por meio de canais como “FAQs” ou chatbots deverá crescer;

6 – M-commerce: a expansão dos dispositivos móveis está a impulsionar as vendas por esses meios. Considerando que o pagamento via smartphones e tablets ficará ainda mais popular à medida que os consumidores se sentirem mais confortáveis, essa é uma tendência que não deve parar de crescer;

7 – Crescimento dos marketplaces: no Brasil, o estudo “Panorama dos Marketplaces”, realizado pela Precifica, mostra que o número de lojistas que actua em comércios virtuais passou de 7,4 mil em setembro de 2017 para 14,2 mil em setembro de 2018, um crescimento de 90,7%. Considerando o facto de que 61% desses vendedores opera em marketplaces há menos de um ano, os marketplaces ainda têm muito espaço para crescer.