Zeina Latif

Campinas/SP


Zeina Latif

Zeina Latif é consultora econômica com mestrado e doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Teve passagem por várias instituições financeiras. Foi economista-chefe da XP e antes disso trabalhou no Royal Bank of Scotland, ING, ABN-Amro Real e HSBC. É colunista do O Globo.




Vídeos



 

Zeina Latif é consultora econômica com mestrado e doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Teve passagem por várias instituições financeiras. Foi economista-chefe da XP e antes disso trabalhou no Royal Bank of Scotland, ING, ABN-Amro Real e HSBC. É colunista do O Globo.

Mestre e doutora em economia pela Universidade de São Paulo (USP), foi economista sênior para América Latina do Royal Bank of Scotland (RBS), economista-chefe do ING no Brasil, com passagens pelos bancos Real e HSBC, economista sênior da consultoria Tendências e professora do Ibmec. Em 2006, recebeu da Revista Forbes o prêmio Mulheres mais Influentes do Brasil, na categoria Economia e, em 2008, o prêmio de Melhor Economista-Chefe pela Ordem dos Economistas do Brasil.

Já atuou em grandes bancos multinacionais (RBS, ING, ABN Amro Real e HSBC) e é atualmente economista-chefe da XP Investimentos, uma das maiores corretoras do país.

Zeina alerta que o governo precisa atuar nas duas frentes: fazer as reformas necessárias, como adotar um limite eficaz para o gasto público, e deixar de fazer movimentos contra-ajuste, como dar aumento salarial para funcionários públicos neste momento. Isso tem impacto automático na folha de pagamentos dos estados, diz a economista.

A Palestrante doutora Zeina Latif, fez uma abordagem sobre o momento econômico e político do Brasil, mostrando que nem sempre é o que dizem ser; pois, em matéria de economia não existe achismo, porque a realidade é que se não há orçamento não se pode gastar, alguém tem que pagar a conta.

 A atual crise não é um ciclo econômico qualquer. Os indicadores de inadimplência, pedidos de recuperação judicial e falência estão muito ruins. Para piorar, não há crédito. O grande risco que corremos é ter uma reação lenta demais da atividade econômica. Julgando pelo passado, toda vez que o Brasil fez a lição de casa na economia, a retomada foi rápida. Desconfia-se que, desta vez, talvez não seja assim. É um quadro mais grave que os vistos anteriormente, sobretudo em relação à saúde financeira das empresas. Portanto, talvez levemos mais um tempo para curar essas feridas. - Zeina

Temas de Palestras:

- Cenario Economico
- A atual crise econômica brasileira
- Chegou o momento em que a Economia Brasileira vai renascer?
- Perpectivas da economia Brasileira
- Investimentos
- Economia Cenário Nacional e Internacional
- O ajuste da macroeconomia